Publicado por: 2ª Promotoria de Justiça de Biguaçu | 02/06/2010

Crack ameaça a juventude da região

O crack é:

“uma droga feita a partir da mistura de cocaína com bicarbonato de sódio geralmente fumada. É uma forma impura de cocaína e não um sub-produto. O nome deriva do verbo “to crack”, que, em inglês, significa quebrar, devido aos pequenos estalidos produzidos pelos cristais (as pedras) ao serem queimados, como se quebrassem. A fumaça produzida pela queima da pedra de Crack,chega ao sistema nervoso central em dez segundos devido ao fato de a área de absorção pulmonar ser grande e seu efeito dura de 3 a 10 minutos, com efeito de euforia mais forte do que o da cocaína, após o que produz muita depressão, o que leva o usuário a usar novamente para compensar o mal-estar, provocando intensa dependência. Não raro, o usuário tem alucinações, paranóia (ilusões de perseguição). Em relação ao seu preço, é uma droga mais barata que a cocaína.

O uso de cocaína por via intravenosa foi quase extinto no Brasil, pois foi substituído pelo crack, que provoca efeito semelhante, sendo tão potente quanto a cocaína injetada. A forma de uso do crack também favoreceu sua disseminação, já que não necessita de seringa — basta um cachimbo, na maioria das vezes improvisado, como uma lata de alumínio furada, por exemplo.” (Wikipedia)

Esta droga, de efeito devastador e que geralmente vicia desde a primeira vez o seu usuário, vem causando danos incalculáveis a uma considerável parcela da  juventude dessa região, pois a cada dia que passa mais jovens têm se viciado nesta perigosa substância entorpecente.

Por ser barata (cerca de R$ 5,00 a R$ 10,00) e pequena (uma pedra) o crack é fácil de traficar e tem atraído jovens de todas as classes sociais.

É alarmante o número de pessoas viciadas em crack que têm procurado a 2a. Promotoria de Justiça de Biguaçu em busca de algum tipo de auxílio. Muitas vezes são pessoas que, de tão comprometidas com a dependência, vivem à margem da sociedade, como verdadeiros mendigos, perambulando pelas ruas, mesmo aqueles que têm família e casa para morar.

Apenas com  muita educação, prevenção e com a participação efetiva da sociedade através dos conselhos (de saúde, de segurança e de entorpecentes)  é que se poderá começar a combater esse grave problema social, exigindo dos governantes medidas práticas para combater esta verdadeira praga.

A 2a. Promotoria de Justiça de Biguaçu já vem procurando tomar as medidas necessárias para que seja implantada a política pública em prol de dependentes químicos e pessoas com transtornos mentais, através da criação de CAPS (Centros de Atenção Psicossocial) e outras providências, que posteriormente serão detalhadas.

E você? Está fazendo a sua parte?


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: